Nova lei aumenta preço das multas de trânsito e restringe uso do celular
Divulgação

Falar ao celular ou manusear o dispositivo enquanto dirige será considerado infração gravíssima ao invés de infração média

Na última quinta-feira (5), uma nova lei publicada no Diário Oficial da União estabeleceu mudanças no Código de Trânsito Brasileiro. Regras sobre o manuseamento de celular, estacionamento e consumo de álcool e drogas estão mais rígidas do que antes. Todas as mudanças entram em vigor em 176 dias, portanto no começo de novembro.
Uma das principais mudanças foi o aumento dos valores das multas aplicadas: as multas leves passaram de R$ 53,20 para R$ 88,38; as médias passaram de R$ 85,13 para R$ 130,16; multas graves aumentaram de R$ 127,69 para R$ 195,23 e as gravíssimas de R$ 191,54 para R$ 293,47. A pontuação continua a mesma para cada tipo de infração – 3, 4, 5 e 7 pontos, respectivamente.

Verifique a rentabilidade de seus investimentos

A nova regra também estabelece que falar ao celular ou manusear o dispositivo enquanto dirige será considerado infração gravíssima. Antes, essa era considerada uma infração média. O ato de estacionar em vagas destinadas a pessoas com deficiência também passou de infração média para gravíssima – e, além da multa de R$ 293,47, o condutor terá o veículo removido da vaga.

Consumo de álcool e drogas
Motoristas envolvidos em acidentes que se negarem a fazer o teste do bafômetro, exame clínico ou perícia do consumo de álcool ou drogas estarão cometendo uma infração gravíssima. O valor da multa será acrescido em dez vezes, um total de R$ 2.934,70, e o condutor terá a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) apreendida por um ano.

Suspensão da CNH
O motorista que somar um total de 20 pontos na CNH em um período de 12 meses poderá perder o direito de conduzir um veículo de seis a doze meses. Se houver reincidência no período de um ano, o condutor poderá perder esse direito por oito a doze meses.

Ler 1417 vezes

Itens relacionados (por marcador)

Entre para postar comentários
Top