Agosto repleto de ações no Sindicato dos Empregados em Turismo e Hospitalidade de Francisco Beltrão
Ligia Prieto (instrutora) com os alunos Andreia Cardoso Francione, Soleni dos Santos, Izaltina Dall Ponte, Luiz Pedro de Ramos e Regiane Cortese Dill, presidente do SETHFB. Assessoria

Da assessoria/SETHFB

O 8º mês de 2021 entrou na reta final, e com ele diversas ações desenvolvidas pelos membros do Sindicato dos Empregados em Turismo e Hospitalidade de Francisco Beltrão (SETHFB).

Destaque para a campanha “Sindicato Solidário”, o qual teve como objetivo arrecadar roupas e calçados usados para trabalhadores ligados ao sindicato beltronense.

Regiane Cortese Dill, presidente do Sindicato e do Fórum Sindical do Sudoeste, explica que foram muitas doações, e o principal: a interação entre os associados. “Eles traziam as doações no sindicato e também levavam para casa peças trazidas por outros associados. Foi uma troca muito gratificante, é o primeiro ano e pretendemos realizar novamente em 2022”. Peças que sobraram foram doadas para famílias carentes de Beltrão. Mesmo com o término da campanha, ainda há trabalhadores doando roupas e calçados no sindicato beltronense.

 

Nova ação voluntária em andamento

Essa é para as mamães associadas ao SETHFB que tiveram seus bebês recentemente, e que possuem roupas e calçados que não servem mais para seus filhos. Está em andamento uma nova campanha de doação dessas peças para que outros bebês possam utilizar, ajudando assim as mamães que necessitam completar o enxoval de seus filhos. É mais uma ação humanitária pensada e organizada pelo SETHFB. “Vejo essa necessidade, têm mamães que possuem mais condições financeiras, e outras não. Escuto elas dizendo que muitas vezes não sabem para quem doar as peças. Por isso estamos fazendo esse pedido de doação”.

 

Curso “Boas práticas de manipulação de alimentos” com vagas abertas

O curso presencial está com inscrições abertas para toda e qualquer pessoa interessada em se qualificar, independentemente de estar vinculada ao SETHFB ou ao setor gastronômico, o que muda é o valor cobrado para cada participante – varia de acordo com a situação cadastral se os mesmos forem associados ou não associados ao Sindicato.

 

Conforme Regiane, o curso tem duração de seis horas, dividido em três dias, na sede do SETHFB – Rua Curitiba, nº 1810, 2º andar, sala “E”, esquina com Avenida Júlio Assis Cavalheiro, centro comercial de Francisco Beltrão. Conforme as inscrições forem sendo feitas, serão formadas as turmas, dependendo a necessidade de cada participante.

 

Cada turma presencial terá, no máximo, cinco alunos, seguindo todos os protocolos sanitários relacionados à Covid-19. “Fizemos uma parceria com a professora Dra. Ligia Machado Prieto, que continuará ministrando o curso. Outras turmas já participaram do treinamento. Sabemos que alimentos contaminados podem trazer sérios riscos à saúde, por isso queremos conscientizar ainda mais trabalhadores e empregadores sobre a necessidade desse treinamento”, informa Regiane.

 

“O principal objetivo do curso é fazer com que o produto oferecido ao cliente tenha uma boa qualidade, portanto deve ser manipulado de forma adequada para que os mesmos não consumam alimentos contaminados com perigos microbiológicos, físicos ou químicos, e desenvolvam doenças transmitidas pelos mesmos, as DTAs”, informa Ligia.

 

Diferencial

Um dos diferenciais dos cursos de manipulação é encaixar participantes em turmas específicas, conforme cada categoria. “Trabalhadores de sorveteria, por exemplo, fazem o curso com quem trabalha em sorveteira, os de churrascaria, a mesma coisa. Porque aí dá para abordar o treinamento conforme a necessidade daquele local de trabalho e daquele trabalhador”, observa Regiane.

 

Em setembro, nos dias 21 e 22, o curso de “Boas práticas de manipulação de alimentos” acontecerá também de forma remota, em parceria com a Prefeitura Municipal, Sindicato e a Unioeste. Serão duas turmas – uma à tarde e outra à noite. No período da tarde, das 14h às 15h; no período noturno, das 19h às 20h30, com vagas limitadas. Para mais informações, os interessados devem entrar em contato com o Sindicato (46) 99138-5493 ou (46) 3523-3541, ou então com Cássia (46) 98421 6258. Nessa modalidade o valor também é diferenciado para associados ao SETHFB. “Identificamos que alguns associados do sindicato, que trabalham com manipulação de alimentos, preferem fazer o curso on-line e percebemos que poderíamos trabalhar das duas maneiras”, comenta Regiane.

 

Após formados, os participantes aumentam as chances no mercado de trabalho, garantindo um diferencial em seus currículos, se destacando-se dos concorrentes em um processo seletivo. A relação diária de vagas de emprego de Francisco Beltrão mostra dezenas de vagas como auxiliar de cozinha, açougueiro, chapista de lanchonete, cozinheira, entre outras oportunidades.

 

O manipulador de alimentos é toda pessoa que realiza a compra dos alimentos até a pessoa que entrega o alimento ao cliente. “Por exemplo, o garçom é considerado um manipulador de alimentos, muitas empresas não têm essa visão”, explica Ligia.

 

Conteúdo do curso

- Conceitos e terminologia

- Perigos de origem alimentar

- Perigos físicos, químicos, biológicos e de origem alimentar

- Boas práticas de fabricação

- Lavagem das mãos

- Higienização (limpeza e sanitização)

- Controle de pragas

- Recepção dos alimentos

- Armazenamento dos alimentos

 

Investimento do curso presencial

- Sócios do SETHFB – R$ 50

- Não sócios do SETHFB – R$ 70

Os alunos irão receber certificado ao término do curso. Mais informações no (46) 3523-3541 ou (46) 9 8814-1268.

 

Em planejamento

“O SETHFB estuda ofertar ainda em 2021 outros cursos na área de alimentação e cursos que contemplem o maior número de trabalhadores das categorias que representa. Temos como objetivo profissionalizar e qualificar mais trabalhadores, pois muitas vagas de emprego não são preenchidas por falta de qualificação”, encerra Regiane.

Ler 49 vezes
Entre para postar comentários
Top