Sebrae e parceiros atuam para fortalecer agroindústrias familiares no oeste paranaense

AMOP, IDR-PR e Sebrae/PR auxiliam municípios na adesão ao Susaf-PR, sistema que permite a venda de produtos da agroindústria familiar para todo o Paraná

Com o objetivo de sensibilizar agroindústrias familiares, o Sebrae/PR realizou em parceria com a AMOP (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná) e o IDR-PR (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná), uma palestra sobre o Susaf-PR (Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agroindustrial Familiar e de Pequeno Porte no Estado do Paraná). O evento teve como foco as regulamentações que os municípios necessitam para obter o Selo Susaf-PR e, por consequência, ampliar a competividade e o mercado para pequenos negócios do segmento.

“Cada vez mais, vemos as agroindústrias se destacando com produtos diversificados e linhas de produções profissionalizadas. É preciso dar espaço para que estes empreendedores conquistem mais espaço no mercado, podendo comercializar em todo Estado, por exemplo. Isso pode ocorrer por meio da adesão ao Susaf-PR, pois quando o município está habilitado ao Sistema, significa que cumpriu as regulamentações e, por isso, pode deliberar sobre a qualidade dos produtos para venda no Paraná”, explica o consultor do Sebrae/PR, Emerson Durso.

Camilo Bernardo Pastore foi um dos participantes do evento. Ele é secretário de agricultura do município de Matelândia. Por lá, o Sebrae/PR já realiza um trabalho específico de consultoria e acompanhamento dos processos para a adesão ao Sistema.

“Com o Selo Susaf-PR daremos mais oportunidade de crescimento e geração de renda para as agroindústrias, pois elas poderão vender em outros locais. Isso vai promover o desenvolvimento, abrir caminhos para que as propriedades possam receber mais investimentos e, também, divulgar as potencialidades de Matelândia e região”, enfatiza Camilo.

De Diamante D’Oeste, a secretária municipal de agricultura e meio ambiente, Patricia Gentilin-Marquez, também aproveitou a palestra para entender ainda mais as etapas para a obtenção do Selo, diferenciando as atribuições de cada esfera. Hoje, o município está ajustando normas e processos para obter a chancela e, em breve, espera-se que o objetivo seja alcançado.

“Queremos ampliar o mercado para as agroindústrias do município. Estamos nos ajustando com o apoio do Sebrae/PR e de uma empresa que nos auxilia nos procedimentos para enquadramento no Sistema, por isso, achei pertinente o tema da palestra”, relata Patricia.

Normalmente, o pequeno empreendimento é registrado no SIM (Sistema de Inspeção Municipal) e, com isso, o mercado tem uma limitação geográfica que é o seu município. O Susaf-PR potencializa as chances de crescimento, geração de renda e criação de novos postos de trabalho desses empreendimentos de pequeno porte. Para que isso aconteça, o município precisa cumprir uma série de requisitos que estão dispostos na portaria 081 de 2020 da Adapar – temática que foi abordada com ênfase na palestra ministrada pela coordenadora estadual de agroindústria do IDR Paraná, Karolline Marques da Silva.

“É preciso compreender que um alimento seguro no município nem sempre é seguro para venda em outro, justamente, porque as condições do mercado são diferentes. Não é apenas levar o queijo na feira e expor durante a tarde ou ir apenas até o mercado: para a venda em outras cidades, o produto precisa passar um tempo na estrada e, depois, pode ficar mais tempo nas gôndolas dos supermercados. É por tudo isso que existem oito programas de autocontrole que o empreendimento precisa cumprir para conseguir as autorizações completas”, comenta Karolline.

Com a adesão do município, os programas de controle são realizados de forma contínua e, por isso, asseguram a segurança de alimentos tais como industrializados coloniais, derivados de carne, leite, pescado, ovos e mel. Na prática, o Estado reconhece a boa estrutura do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) e sua capacidade para garantir a qualidade e o controle sanitário dos produtos de origem animal das agroindústrias. Com isso, possibilita que aquelas que foram inspecionadas e indicadas tenham o selo impresso nas embalagens e os produtos possam ser vendidos em outros municípios paranaenses, além daquele de origem.

A palestra contou com a participação de mais de 80 pessoas, entre secretários e representantes das secretariais municipais, de 50 municípios do oeste paranaense. Em todo o Paraná, onze municípios contam com o Selo a partir da adesão ao Sistema, são eles: Francisco Beltrão, Cascavel, Mauá da Serra, Salgado Filho, Santa Helena, Santa Izabel do Oeste, Barracão, Dois Vizinhos, Itapejara D’Oeste, Coronel Vivida e Toledo. A partir de eventos como o que foi realizado nesta semana e de programas de capacitação, apoio e consultoria, o Sebrae/PR espera aumentar o índice de adesão dos municípios do oeste e, em breve, oportunizar que toda a região esteja habilitada para vender em qualquer cidade do Paraná.

Ler 55 vezes
Entre para postar comentários
Top