“Por causa da Palavra de Deus...”

Dom Edgar Xavier Ertl – Diocese de Palmas-Francisco Beltrão-PR

Domingo, 26 de setembro, celebramos o “Dia da Bíblia”. Porque a Igreja escolheu este mês de setembro? Escolheu este mês porque nele se comemora o “dies natalis”, a festa de São Jerônimo (340-420), o “doutor máximo” no ensino das Santas Letras! Celebremos, pois, caros leitores, com alegria no coração nosso Deus e sua Palavra. Oficialmente, o Dia da Bíblia é 30 de setembro, memória de São Jerônimo. Foi um presbítero e doutor da Igreja de profunda oração e penitência, além de extraordinária inteligência, acima da normalidade dos seres humanos. Um fenômeno cerebral! Agraciado por uma vasta cultura literária e bíblica. Traduziu os dois testamentos para a língua latina. Pode realizar essa obra porque conhecia as ciências hebraicas e gregas e outras nuances das línguas faladas à época bíblica. Essa tradução de Jerônimo recebeu o nome de “Vulgata” – cujo significado é “comum; popular; acessível”.

Foi ele quem dividiu a Bíblia em capítulos e versículos. Seu empenho na tradução das Escrituras, assim foi descrito por ele: “Cumpro o meu dever, obedecendo aos preceitos de Cristo que diz: ‘Examinai as Escrituras e procurai e encontrareis’ (Jo 5,39) para que tenhais de ouvir o que foi dito aos judeus: ‘Estais enganados, porque não conheceis as Escrituras e nem o poder de Deus...’ (cf. Mt 22, 29). Ignorar as Escrituras é ignorar Cristo”, diz Jerônimo, quando comenta o Profeta Isaias.

 

“Palavra da Salvação”, no “singular”!

Na Bíblia está escrito a Palavra de Deus que nos foi comunicada. Nós somos os anunciadores da Palavra de Deus, somos os porta-vozes da grande Notícia do Evangelho. Tantas vezes, ao terminar a proclamação dizemos com solenidade e fé: “Palavra da Salvação”. A Palavra da Salvação tem um nome, uma identidade, uma história, assumiu uma fisionomia, uma personalidade concreta. É uma pessoa. Jesus Cristo, o Nazareno. Queremos deixar que a Sagrada Escritura nos fale e nos ajude a entender e descobrir, por meio dela, a presença de Deus na história da humanidade, a presença de Deus na natureza, nas pessoas, nas comunidades de fé, na Igreja Diocesana de Palmas-Fco. Beltrão. Queremos descobrir, através dela, a presença de Deus em cada pessoa que nos foi confiada como discípulo missionário de Jesus Cristo, no lugar de nosso apostolado eclesial, nos jovens presentes em nossas comunidades, movimentos e serviços; nos catequizandos e catequistas, sempre inspirando-se na Palavra de Deus para formá-los no seguimento de Jesus Cristo; nos grupos de família/reflexão, reunidos em torno da Palavra e da Celebração da vivência da fé e da partilha. Que a Palavra de Deus nos guie e nos mostre sempre o caminho justo e certo; e que nos conduza pelas estradas da vida sempre contando com a sua Luz, porque pela “Palavra de Deus saberemos por onde andar”, porque ela orienta, dá vigor e fortaleza, alegria, esperança, nos santifica e nos torna profetas para anunciar a verdade e denunciar a mentira!

 

Escritura: para rezar, meditar e servir!

“Que as Palavras da Escritura estejam sempre em teus lábios, para que, meditando-as dia e noite, te esforces para realizar tudo aquilo que ensinam, e terá sentido e valor à tua vida” (Josué 1,8). “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil, a fim de ensinar, corrigir e educar para a justiça. A fim de que o homem de Deus seja perfeito, qualificado para toda boa obra” (2Tm 3,16-17). No Apocalipse de São João, lemos: “Eu, João, vosso irmão, companheiro vosso na tribulação, no reinado e na perseverança por Jesus, encontrava-me na ilha de Patmos por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus” (Ap 1,9). Noutra citação: “... e o testemunho que eles deram da Palavra...” (Ap 12,11). O autor padeceu tribulações a serviço da Palavra – da mensagem de Deus – e do testemunho que Jesus Cristo deu, ou seja, do Evangelho do Reino. Ele recebe a mensagem e vai comunicá-la. Ela é anúncio, pregação. É mensagem profética. O discípulo é ouvinte e servidor da Palavra de Deus.

Ler 76 vezes
Entre para postar comentários
Top