Mulheres são as mais afetadas com problemas na tireoide

A tireoide é uma glândula em formato de borboleta situada em frente aos anéis da traqueia, entre o pomo de adão e a base do pescoço. Ela é responsável pela produção de dois importantes hormônios para o corpo, o T3 e T4.

Quando o nível de produção de hormônios está abaixo do ideal, a pessoa sofre com hipotireoidismo e, normalmente, relata sintomas como depressão, desaceleração dos batimentos cardíacos, intestino preso, menstruação irregular, falhas de memória, cansaço excessivo, dores musculares, pele seca, queda de cabelo, ganho de peso e aumento de colesterol no sangue.

Há também o hipertireoidismo, em que existe a produção de hormônios acima do esperado. Nesse caso, o paciente sofre com alguns sintomas como fotofobia, dor na movimentação dos olhos, olhos saltados, ansiedade, irritação, perda de apetite, intestino solto, fraqueza nos músculos, queda de cabelo, perda de cálcio nos ossos, insônia e perda de peso.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 1,6 bilhão de pessoas sofram algum distúrbio da tireoide no mundo, sendo oito vezes mais frequente em mulheres. Já no Brasil, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 15% da população acima dos 45 anos apresenta o problema. Enquanto a incidência do hipotireoidismo na população adulta masculina é de cerca de dos 3%, nas mulheres o dado aumenta para 15%.

Ler 52 vezes
Entre para postar comentários
Top