Regional - Jornal Novo Tempo
A Camagril, empresa de máquinas agrícolas, promoveu no dia 25 de julho, Dia do Colono e do Motorista, no Country Clube de Realeza um encontro com agricultores de toda a região.

Mais que uma refeição, o churrasco representa para boa parte dos brasileiros um ritual de comemoração. Tudo é motivo para reunir amigos ou família e preparar apetitosas peças de carne na brasa.

“É por você que estamos aqui”Atender bem é uma das metas da revenda de automóveis Covesul Multimarcas de Realeza.
E esse objetivo se comprova e se fortalece ainda mais a cada dia com novas conquistas de clientes e de realizações.
Dia 03 de junho de 2008, na sala de reuniões da Paróquia Imaculada conceição em Dois Vizinhos, reuniram-se os padres do decanato e jovens que representavam a Pastoral da Juventude, juventude da RCC e Pastoral dos Adolescentes.
A Linha Sertaneja de Realeza foi palco da escolha da Rainha do Colono 2008.O evento aconteceu no sábado dia 28, reunindo cerca de 500 pessoas de toda a região.
Pão caseiro, mel, melado, frutas e produtos orgânicos. Esses são alguns ingredientes que fazem parte do cardápio da merenda escolar da maioria das escolas públicas do Paraná.
 Garantindo alimentos mais saudáveis nas mesas escolares, as escolas têm se preocupado, cada vez mais, com a saúde dos alunos. O acompanhamento de uma nutricionista tornou-se indispensáveis. Com isso, quem ganha são os estudantes.
Reinaugurou na última segunda-feira, dia 16, a nova sede da empresa de Santa Izabel do Oeste, Refrigeração Clínica do Lar.
A safra do girassol tem se tornado uma alternativa para os agricultores do Sudoeste do Paraná. Eleito como a principal matéria prima do biodiesel, o combustível do futuro, o produto tem conquistado as lavouras da região.

Na última sexta-feira, 06, aconteceu em Realeza um dia de campo promovido pela empresa Nidera Sementes, uma das principais empresas de sementes de girassol do País. Reunindo cerca de 30 agricultores, no evento foi repassada toda a tecnologia utilizada para o plantio da semente de girassol, desde
o tratamento da semente, a melhor semente a ser utilizada, a forma de plantar e de colher.
Hoje são cerca de 1.500 hectares de terras plantadas com a cultura, espalhados pelo Sudoeste. Carmelino Junior Ventura, Engenheiro Agrônomo e representante comercial da empresa, afirmou que a cultura deverá ter um acréscimo cada vez mais intenso. “O girassol, em função dos biocombustíveis, passará a ter uma importância ainda maior, pois essa semente tem uma vantagem em relação a soja, porque a soja produz 20% de óleo e o girassol 50%. Isso deverá incentivar os produtores a cultivar a semente”.
Além desse incentivo, os preços tem sido atrativos. “Os custos para a produção é a metade dos custos do milho, por ser uma cultura menos exigente. O produtor gasta em média, R$ 1.500 por alqueire. Para a venda, o preço gira em torno de R$ 40,00 a saca de 60 kg”, disse o Engenheiro.
O Agrônomo explica que a produção é feita duas vezes por ano. Uma é na safrinha de janeiro e fevereiro e outra entre julho e agosto. “Isso também tem incentivado os produtores porque o girassol se torna uma alternativa a mais. Os agricultores não deixam de plantar milho ou soja porque a safra de girassol não impede o plantio e a colheita”, frisa Ventura.
Jesus Roque Porto, de São Roque, Realeza, proprietário da área onde foi realizado o dia de campo frisou ser a primeira vez que cultiva o girassol. Mas, segundo ele, não se arrependeu. “Eu plantei 2.4 alqueires de girassol e acredito que o lucro será muito bom, pois tornou-se uma saída para o inverno. Com o trigo os riscos são maiores, e o girassol é mais resistente nessa época”, disse. Porto explanou que, para o próximo ano, pretende aumentar a área de plantio.
Carmelino Ventura avaliou que o produtor, Jesus Porto, deverá colher cerca de 80 a 100 sacas nessa.
Hoje, 5 empresas da região compram as sementes de girassol. Esse aumento reforça a idéia de que a cultura do girassol tende a ser uma ótima alternativa para os produtores agrícolas.

Na noite de sexta-feira, dia 6, a cidade de Campo Largo, região Metropolitana de Curitiba, foi palco de um dos maiores eventos da imprensa do Paraná.
O 20º Congresso Estadual dos Jornais e Revistas do Estado, aconteceu no Hotel Campo Largo, reunindo 33 jornais do interior do Paraná e cerca de 120 pessoas.

A abertura oficial juntou autoridades locais e estaduais, além de jornalistas, proprietários e funcionários de jornais e revistas do Estado.
A primeira noite do evento foi marcada pela troca de informações e experiências entre os profissionais.
A abertura do Congresso contou com a presença do Prefeito Municipal da Cidade, Edson Basso, Maria Joana, representando o Secretário de Educação do Estado, Maurício Requião, o Deputado Federal Rodrigo Rocha Loures,  além do Presidente da Adjori PR e diretor do Jornal Novo Tempo, Sergio Jonikaites.
O 20º Congresso da Adjori se estende até domingo, dia 8, com palestras sobre diversos assuntos, e no sábado a noite, haverá premiação dos melhores trabalhos do Estado.

Palestras da manhã
A primeira palestra da manhã do dia 07, tratou de assuntos pertinentes ao mundo do jornalista, João Alceu Julio Ribeiro jornalista formado que atua na área de assessoria de imprensa explanou sobre as inovações que devem acontecer nos jornais impressos.
A segunda palestra com o presidente da Adjori RS, Aroldo Rocha, tratou sobre a importância de um jornal ser assossiado na adjori, acrecentando o poder a midia perante a sociedade e incentivando o uso deste poder para trazer melhorias para a associação e seus associado.
Texto: Fernanda Pivatto/Tania Santor

Veja as fotos do congresso na página de eventos do jornal, clicando AQUI
O Projeto Juventude Cidadã de Ampére teve início no dia 15 de maio e irá atender 30 alunos de baixa renda na faixa de idade de 16 a 24 anos e que nunca tiveram vínculo empregatício, com o objetivo de qualificá-los através de aulas teóricas e práticas para o mercado de trabalho numa parceria entre o Departamento de Ação Social, coordenado pela primeira dama do município, Claudinete Dettoni, o Ministério do Trabalho e Emprego do governo federal e entidades privadas ou públicas.
Pelo convênio, o Ministério custeará 525 horas de qualificação social e profissional e a prefeitura através do Departamento de Ação Social deverá criar condições objetivas para elevar a escolaridade dos jovens visando a inserção produtiva de no mínimo 30% no mercado de trabalho.
O projeto está sendo desenvolvido pelo professor Glauber Forceline e pela supervisora Valéria Cooper Fedrigo. A diretora do Departamento de Ação Social, Claudinete Dettoni destaca que este projeto irá contribuir para que jovens que não estejam no mercado de trabalho tenham a oportunidade, através do aprendizado que combina a teoria e a prática, de em breve estarem ocupando seu espaço dentro do mercado de trabalho.

Top