Saúde - Jornal Novo Tempo
Preocupada em manter a boa forma e as curvas, você deixou de beber sucos, refrigerantes e água enquanto come. Afinal, nada pior para aumentar a barriga. Mas será que ingerir líquido durante as refeições pode mesmo aumentar a medida de sua cintura? “A barriga é uma conseqüência das calorias ingeridas”, conta a nutricionista do Promove São Camilo, Débora Rocha. Ela explica que o líquido consumido durante a refeição pode causar uma dilatação momentânea no estômago, daí a idéia de que o líquido pode aumentar a barriga. “É uma dilatação pela quantidade de alimentos que se está ingerindo.”
A nutricionista Mariana Vela Reis comenta ainda que beber qualquer tipo de líquido durante uma refeição pode comprometer a acidez gástrica necessária para uma boa digestão e a absorção dos nutrientes, principalmente vitaminas e minerais. “Com a digestão comprometida, pode ser que ocorra a fermentação de carboidratos. Esse processo aumenta a formação de gases, dando a sensação de distensão abdominal, ou seja, de ‘barriga’.” Segundo Mariana, uma idéia é que se consuma água antes das refeições diárias. Assim, o líquido é rapidamente esvaziado do estômago, permitindo que a acidez gástrica se recupere. “Além disso, como a sensação de sede pode ser confundida com a de fome, uma vez satisfeita a necessidade de líquido, o apetite será proporcional à necessidade de consumo de alimentos, evitando compulsões”, explica. E são as compulsões alimentares, acompanhadas das calorias ingeridas em excesso, que podem se transformar nos grandes vilões da barriga. “A região abdominal, normalmente, é a que tem a maior facilidade em absorver as gorduras ingeridas em excesso”, comenta Débora. De acordo com a nutricionista, o ideal seria que não se bebesse líquidos durante a ingestão de alimentos. “Além de aumentar a dilatação do estômago, beber água dificulta a digestão”, explica. Mas se é difícil se deliciar com aquele saboroso prato sem um copo ao lado, vai a dica: “prefira, então, um suco de fruta cítrica, porque a vitamina C auxilia a absorção do ferro”. Conheça os alimentos que estufam e aumentam a barriguinha É fácil perceber quando comemos a ponto de nos sentirmos estufadas. O difícil é saber o ponto certo para não nos sentirmos mais assim. Certo? Diante de um prato delicioso, ficamos tão atordoadas com a quantidade de sabores que acabamos por esquecer o ponto ideal que deveríamos parar de comer, por já estarmos satisfeitas. Alguns estudos, pesquisas e opiniões de nutricionistas, nutrólogos e estudantes da ciência das dietas afirmam, portanto, que essa sensação pode ser amenizada com uma fórmula inovadora: a combinação dos alimentos. Isso não quer dizer que, fazendo o mix ideal de alimentos, você pode largar a mão e comer uma quantidade muito acima do que deve, muito pelo contrário. O ideal é que você coloque pequenas quantidades no prato e coma devagar, mastigando minuciosamente cada grão de comida colocado em sua boca. Para isso, concentre-se: desligue a TV, o rádio e a internet e deixe as discussões com a família e os amigos de lado. Não pense em problemas e “desplugue-se” do trabalho. O momento da comida deve ser um momento de total relax e paz interior – nem que para isso você tenha que ser atriz por alguns instantes.
Ainda que muita gente resolva estudar o organismo feminino, alguns mitos continuam a fazer parte do dia-a-dia das mulheres e das visitas aos ginecologistas. A menstruação, por exemplo, embora seja um acontecimento corriqueiro, desperta muitas dúvidas, principalmente no que diz respeito às atividades sexuais. Será que transar menstruada faz mal para a saúde? Há risco de gravidez na época da menstruação?
Crianças que dormem pouco correm maior risco de se tornarem obesas, segundo estudo feito por pesquisadores da Escola Bloomberg de Saúde Pública da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. “Nossa análise mostra uma clara associação entre a duração do sono e o risco de obesidade, que caiu à medida que se dormia mais”, disse Youfa Wang, principal autor do estudo.
A Secretaria de Saúde de Capanema visando o melhor atendimento à população inaugurou no dia 03, o atendimento em três turnos no Centro Municipal de Saúde, que agora passará a funcionar até às 20h30.
Seguindo o mesmo processo de aumento da expectativa de vida dos países desenvolvidos, como os europeus, a sociedade brasileira está envelhecendo e a média de vida do brasileiro ultrapassa 70 anos.
Pouca gente lembra, mas o fato é que uma lei simplesmente proíbe o consumo de álcool a menores de 18 anos. E, sendo lei, deveria ser aplicada até dentro de casa. O problema é que muitos pais toleram uma bebidinha dos filhos. Pior: às vezes até oferecem. Especialistas contam que às vezes o pai chega ao consultório aflito porque o filho fuma um cigarro de maconha, sem se importar com que ele tome um porre todo fim de semana.
A substituição do leite materno por refeições inadequadas está por trás de casos de anemia entre bebês, segundo estudo realizado na Universidade Estadual de Campinas, no interior paulista. A nutricionista Fabíola Nejar, autora do trabalho, avaliou 513 crianças de até 1 ano de idade e notou que 49% delas estavam anêmicas.
[img]http://www.jornalnovotempo.com.br/images/fotos/imagem200821392326.jpg" align="right"> Santa Izabel do Oeste conta com a primeira Clinica de Médica e Estética Drª Fabíola Reisdoerfer que está localizada na Avenida dos Pinheiros, 1604 – térreo. São vários os tratamentos oferecidos por Drª, formada em 2002, em medicina geral, Pós-Graduada em medicina estética e cursando Pós–Graduação em Terapia intensiva. Em busca de um novo mercado, optou pela cidade pelo fato de não haver outra clinica especializada. É o seu primeiro consultório particular, até o momento ela atuava no Posto de Saúde e Hospital Municipal de Santa Izabel como Médica em Clinica Geral.
Ela tem tantas virtudes para a saúde que vale a pena criar o hábito de consumi-la todos os dias. Um poderoso hidratante e antioxidante, seu extrato encontra cada vez mais espaço na indústria da beleza. Aproveite a estação para mergulhar de cabeça nos benefícios desta exótica fruta.
Esquecer os óculos ou ler em movimento são hábitos que geram polêmica
Top