Raciocínio rápido e boa memória de longo prazo podem ser sinais de superinteligência, aponta entidade mundial

Conheça cinco sinais que podem indicar altas habilidades/superdotação, de acordo com a Associação Mensa Brasil, entidade que reúne pessoas de alto QI no País

Você já ouviu falar sobre pessoas superinteligentes? Esse é um dos termos utilizados para se referir às pessoas que têm um quociente de inteligência (QI) muito acima da média. Aprenda a identificar cinco características que podem ser encontradas em pessoas com altas habilidades/superdotação.

Segundo Rodrigo Sauaia, presidente da Associação Mensa Brasil, organização que reúne pessoas com altas capacidades intelectuais no País, a superinteligência é uma característica que pode ser medida objetivamente, por meio de testes padronizados.

“Para se tornar membro da Associação Mensa Brasil, o candidato precisa estar no percentil 98 ou superior, ou seja, nos 2% maiores resultados de QI da população. A pontuação de cada tipo de teste varia de acordo com a metodologia utilizada", esclarece Sauaia.

Por exemplo, para um teste em que o resultado médio da população brasileira é de 100 pontos, com variação de 15 pontos para mais ou para menos (o chamado “desvio padrão”), é necessário obter 131 pontos ou mais para atingir o requisito de admissão da Mensa Brasil.

Como reconhecer os sinais de superinteligência?

Reconhecer as altas habilidades, tanto em crianças, quanto em adultos, pode ser um desafio para pais, professores, amigos e colegas de trabalho. Para os adultos, descobrir se você possui alto QI pode contribuir para ampliar sua rede de contatos e se envolver mais ativamente em iniciativas em prol das altas habilidades/superdotação.

"Já para as crianças e jovens, essa descoberta pode fazer uma enorme diferença em todos os aspectos da vida, principalmente durante a formação socioeducacional, com reflexos profundos na vida pessoal e profissional”, aponta Sauaia.

O primeiro passo para reconhecer sinais de altas habilidades é respeitar as características individuais da pessoa. Indivíduos com alto QI compartilham alguns traços recorrentes, que podem servir de pistas. A inteligência é inerente à pessoa, mas o ambiente externo no qual ela está inserida também exerce influência no desenvolvimento deste potencial.

"Além disso, a inteligência não está restrita ao desempenho escolar ou acadêmico. Essas capacidades se expandem para outras áreas da vida, como atividades artísticas, esportivas, profissionais, idiomas, entre outras”, explica Sauaia.

O conceito das altas habilidades ainda traz muitas discussões. De acordo com a definição mais atual, a pessoa que apresenta altas habilidades tem um desempenho superior em comparação aos seus pares, em uma ou mais áreas do conhecimento.

Essas habilidades podem englobar a capacidade intelectual em geral, a aptidão acadêmica, a criatividade, a capacidade de liderança, os talentos artísticos e esportivos, entre outros.

5 Sinais de superinteligência

Raciocínio rápido para resolver problemas.

Boa memória de longo prazo: capta as informações e as recupera com facilidade quando necessário (lembra-se de nomes ou rostos de pessoas que não vê há muito tempo, datas históricas, imagens, números etc.).

Boa memória operacional: capta e processa diferentes tipos de informações ao mesmo tempo.

Consegue diferenciar sons e visualizar detalhes em imagens com muita facilidade.

Rápida curva de aprendizado, apresentando habilidades avançadas para a sua idade cronológica: crianças que aprendem a ler aos 3 anos ou antes; crianças que conseguem compor uma música sem nunca ter estudado para isso etc.

Testes de QI

Apenas reconhecer estas características não é suficiente para trazer a confirmação de que a pessoa possui realmente altas habilidades/superdotação, mas ajuda a levantar a possibilidade. O próximo passo recomendado é realizar uma avaliação de QI especialmente desenvolvida para esta finalidade.

A avaliação do QI pode ser feita a partir de diferentes tipos de testes, padronizados por faixa etária e característica populacional. Os testes são realizados por psicólogos e neuropsicólogos, conforme diretrizes do Conselho Federal de Psicologia (CFP).

“Identificar uma pessoa com altas habilidades permite que seu potencial seja mais bem compreendido, trabalhado, estimulado e desenvolvido. Neste sentido, ainda não há um mapeamento abrangente desta população no Brasil. Também faltam programas e políticas públicas adequadas para apoiá-los a se desenvolver e contribuir com o avanço da nossa sociedade”, destaca Sauaia.

Diante deste cenário, um dos objetivos da Associação Mensa Brasil é promover, ao redor do País, testes de admissão e avaliação de alto QI em pessoas com 17 anos ou mais. Este ano, a organização já promoveu uma rodada de testes de admissão, em 26 de março, em 11 cidades de oito estados brasileiros.

Na ocasião, foram identificadas 19 pessoas com altas habilidades. A entidade prepara nova rodada de testes, prevista para o final de maio deste ano. A avaliação em crianças e jovens também é possível, exclusivamente por meio da submissão de laudo emitido por psicólogo ou neuropsicólogo.

Ler 159 vezes
Entre para postar comentários
Top