Morte de motociclistas cresce 83% em 4 anos no País
O trânsito brasileiro está matando cada vez mais motociclistas. O número de mortes de motociclistas subiu 83% de 2002 a 2006, quando passou a representar 25% das vítimas de acidentes fatais de transporte no País. O total de casos chegou a 6.829 em 2006, ano em que 5,5 milhões de motos circulavam no Brasil, conforme o Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros. Em acidentes com carros morreram 7.440 pessoas, mas a frota de automóveis chega a ser três vezes maior. O secretário-executivo do Ministério da Justiça, Luís Paulo Telles Barreto, disse que o governo pode proibir que motociclistas circulem entre as faixas de carros.
“Os pedestres continuam sendo as principais vítimas do trânsito (morreram 9,4 mil, em 2006), mas as mortes de motociclistas aumentaram”, avaliou o pesquisador Julio Jacobo Waiselfizs. Barreto atribuiu esse crescimento ao aumento do número de motocicletas em circulação - que subiu para 7,6 milhões no fim do ano passado. “Sei que 2007 foi o ano recorde de venda de motos no Brasil.” Barreto admitiu que a autorização dada pela lei para que os motociclistas circulem entre as faixas de carros fez crescer o número de acidentes. Antes do Código de Trânsito Brasileiro, dez anos atrás, a lei proibia motoqueiros de passarem entre os carros. Segundo o secretário, essa é uma regra que o ministério estuda mudar no pacote de ações contra a violência no trânsito, a ser apresentado amanhã. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Ler 796 vezes
Entre para postar comentários
Top